Obrigado por sua visita.Volte sempre!

Contador de visitas

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

O Primeiro Alfeiro que eu conheci.

Olá Amigos do FNM,hoje quero lhes contar quem foi o primeiro alfeiro que conheci.
Mas primeiro vou lhes contar porque da minha paixão por caminhões.
Quando eu tinha três anos de idade,meu Grande Pai Mauro José Belli trabalhava com um Fordão F700 azul  ano 1978 caçamba,pensa num caminhão bonito,azul escuro e teto branco,com um friso cromado atras da cabine dividindo as duas cores,Freio a AR,reduzido,motorzão Perkins 6358,tinha muita força mas o problema era pegar de manhã.Tinha que colocar uma tocha dentro do filtro de ar para puxar fogo pela admissão, e mesmo assim dando até tranco era dificil de pegar.Esse era um defeito comum nesses motores,depois que se fazia um rebaixamento no cabeçote sanava o problema.
Meu pai carregava areia no F700,cerca de 7 à 8 metros de areia,aproximadamente de 10 `a 12 toneladas,e saia do areieiro cambiando e cruzando marchas no Fordão,eu delirava com isso kkkk, e nas subidas compridas ,ele vinha correndo tudo e mandava marcha.Eu ficava doido quando ele engatava  sem embreagem só nas aceleradas pra subir rotação.
Bom uma parte da minha loucura por caminhões está explicada,agora vem a segunda parte.
Em meados dos anos oitenta ,passava no SBT o seriado As aventuras de BJ.Eu não perdia um capítulo,ficava boquiaberto com aquele caminhão enorme,Parabrisas dividido ao meio,grade do radiador ,era muito bonito cinza.....(nossa tv era uma Philco preto e branca kkkk ) vim a saber que era vermelho e branco à pouco tempo.

Billie Joe McKay e o Urso.....e claro o Kenworth K100 1978.


Bom ...em uma viajem de pedra que eu e meu Pai fomos buscar na pedreira de Valinhos,encontramos um caminhão diferente.Era muito Grande,bem maior que o F 700,tinha o para brisa dividido ao meio,tinha uma grade muito legal na frente,com frisos cromados,e um ronco muito forte,fazia tremer o chão.
Fiquei louco e perguntei - Pai,Pai que caminhãozão é aquele azul?- Ora é um Arfão!!! exclamou meu pai.Eu fiquei gamado,um Arfão parecido com o do BJ,que legal.Então sempre que meu pai avistava um Arfão ele gritava pra mim- Olha lá Digão um Arfão Vermelhão,olha outro Azul .- e eu cada dia que passava endoidava com os Alfas.
Meu tio Nivaldo Wagner Belli,irmão mais velho do meu pai tinha um MB 1113 trucado vermelho,e transportava milho e farelo para a fabrica de ração do Frigorifico Frango Tonho.Mas o 1113 trazia pouca carga,era um sofrimento trazer 15 toneladas.Até que um belo dia,mais precisamente um sábado depois do almoço meu pai chama eu ,minha mãe Ilda e meu irmão bebezinho ainda o Ricardo,para irmos dar uma passeada na casa do meu Avô,que morava num bairro do outro lado da cidade.
No caminho meu pai me disse que tinha uma surpresa pra mim.Disse que o Tio Niva tinha trocado de caminhão.Chegando lá na casa do Vô Zé Belli ,quase tive um troço....eu não acreditava no que via....meu tio Tinha trocado o 1113 num Arfão!!!!Era um 180 Amarelo ano 1972 modelo 1973.Lindo ,lindo,lindo!!!desci correndo do carro e meu tio disse -eaí Sapo(ele ainda me chama de Sapo até hoje,kkkk que doido)quer montar lá na boléia do Arfão?
FNM 180 1973 de Arapongas Pr,igual ao que meu tio teve em 1987 e que eu "pilotava".



Nem preciso responder né.Subi correndo pelo estribo e achei muito legal a porta que abria pra trás.Nossa !!!eu pensava comigo,que espaço de gabine,que painel legal,que puta volante,e olha atras de mim,uma cama bem grandona.Amigos ...imaginem um Menino feliz.Nem entrei na casa da minha avó ver ela,fiquei a tarde toda "pilotando" o Amarelão.Viajava bastante,quando me cançava deitava na cama pra dar uma pequena pausa pro motor,e logo retomava o pilote novamente kkkk.
Já era quase umas cinco horas da Tarde quando meu Tio e meu Pai decidem ir dar uma volta no Amarelão até Jundiaí.Lógico que pulei lá na cama e minha prima Binha foi junto com a gente.
Aquela foi uma grande viagem,eu me lembro de ir olhando pelo vidro vigia os carros pela rodovia,e meu Tio acelerando o Arfão.
Então surgiu um decreto,todo sábado depois do almoço já era certo,  ir na casa do Vô pra eu pilotar o 180.
Meu Tio então trabalhava bastante com o FNM,carregava mais 20 toneladas de milho,viajava sempre pelo interior de Sp.Uma vez ,meu pai que gostava muito de cavalos e mulas  ,e comprou uns 12 animais de um amigo em Tabatinga Sp,esse amigo é o Doriquinho.Mas meu pai não tinha caminhão boiadeiro ainda,e o Doriquinho também estava sem caminhão.Meu pai chamou meu tio pra ir até Tabatinga carregar os cavalos no graneleiro do FNM.
Como os dois não tinham muito juízo,foram.Sairam sabado depois do almoço,chegaram lá já era de noite,encostaram o caminhão num barranquinho e carregaram todos animais.
Na viajem de volta meu pai disse-Niva deixa eu levar esse arfão vai?-meu tio caindo de sono e canseira deixou,mas disse vai devagar porque esse caminhão é passo longo,anda vastante ,e é freio faixa estreita,pode esquentar-.Bem e lá vem o Mauro acelerando forte no FNM,já era bem tarde ,quase meia noite.Foi então que meu pai saiu no acostamento e ...timha um belo degrau da pista pro acostamente,e foi só escorregada e tombos de cavalos na carroceria.Meu pai segurou firme o volante,foi freiando devagar pra não machucar os cavalos e veio trazendo o 180 devolta pra pista.
Meu tio quase caiu da cama de susto-Você quer tombar esse caminhão e matar  a gente eos cavalos.....pode parar e deixa que eu vou dirigindo devagar-disse meu Tio nervoso.
Hoje quando contam essa história é só risada,mas que foi um baita susto foi.
Chegaram bem de viajem e nenhum cavalo se machucou.
Tempos depois meu Tio decidiu vender o Arfão.O frigorifico estava quase falindo,e foi ficando ruim de serviço para truck graneleiro,então....o Alfa Romeu se foi....meu tio vendeu e comprou um Ford F13000 laranjão roda raiada,bem bonito,bem novo devia ter só uns 6 anos de uso.
Bem está explicado não é.Meu Pai me ensinou Gostar de caminhão,que mais tarde me ensinou a pilotar e isso devo a ele,que me ensinou e muito bem a minha Profissão.
E também ao Meu Tio,que me aproximou mais dos caminhões ,e do que eu mais gostava,o Alfa Romeo FNM 180.E essa é a história do primeiro Alfeiro de verdade que eu conheci.
Mesmo que meu Tio ficou poucos anos com o FNM,foram suficientes para até hoje ele gostar muito dos FNM's,e ser um Amigo dos FNMs.
Boa noite à todos e um grande abraço,até a próxima.



2 comentários:

  1. Rodrigo
    Apenas um comentário: Sensacional!! Gostei muito, escrita simples e com conteúdo!
    Adorei!
    Grande abraço
    Cuti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa amigo Cuti Dodgeiro muito obrigado pelo elogio rsrs,eu sou novato ainda em histórias ....mas to aprendendo ,estou garimpando uma história bem legal de um Amigo do FNM e seu 180 com quarto eixo ,ele é da cidade de Canoas Rs,logo terei fotos e detalhes,valew um grande abraço.

      Excluir

Caro amigo(a) avalie seu comentário antes de postar.Obrigado e Volte sempre!